Matérias

Brincar é um direito da criança

Só em São Paulo existem 3 milhões de crianças e adolescentes de 0 a 17 anos, cerca de 30% da população total da cidade. No Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) a palavra "brincar" aparece como um direito da criança. No Capítulo II, está escrito: "O direito à liberdade compreende os seguintes aspectos: ... brincar, praticar esportes, divertir-se ..."
A curiosidade infantil (assim como a do adulto) é a propulsora da aquisição de conhecimentos. Portanto, devemos primeiramente deixar a criança em estado de alerta, em estado de curiosidade, para que se interessem e prestem atenção no que lhes vai ser apresentado.
A brincadeira faz com que a criança adquira habilidades que ajudam muito no desenvolvimento do seu cérebro, ajudando no crescimento e fazendo com que a criança carregue para sua vida adulta uma boa coordenação motora, audição e visão apuradas.
A criança brinca porque os adultos e as crianças maiores brincam com ela. Uma das brincadeiras que ajudam no desenvolver da imaginação é a brincadeira "faz-de-conta". Brincadeiras também podem ser enriquecidas com a criatividade e com os conhecimentos que os brinquedos educativos podem oferecer.